19.5 C
Brasil
sexta-feira, maio 7, 2021
Início Justiça Saul Klein teria pago R$ 800 mil por silêncio de vítimas, diz...

Saul Klein teria pago R$ 800 mil por silêncio de vítimas, diz site

O empresário Saul Klein afirmou ter pago R$ 800 mil para silenciar vítimas de crimes sexuais. A declaração consta em vídeo obtido pelo portal Uol. Esse valor teria sido repassado para cada uma das duas garotas com quem Klein teria firmado um contrato.

As mulheres frequentavam uma propriedade do herdeiro das Casas Bahia em Barueri, na Região Metropolitana de São Paulo. Também fariam parte do grande esquema de aliciamento e abuso perpetuado por anos pelo seu pai, o fundador da empresa, Samuel Klein.

Saul é alvo de denúncias de mais de 30 mulheres por estupro e aliciamento. Elas foram entregues ao Ministério Público, que investiga as acusações. O empresário se defende. Diz que agia como um “sugar daddy” –presenteava ou pagava mulheres em troca de sexo e afins.

.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;} input.submit{margin-top: 0.2px !important;} .mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter
h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}

Receba a newsletter do Poder360

Em um processo diferente do que chegou ao MP, ele chegou a dar outra versão sobre os pagamentos de R$ 1,6 milhão. Afirmou que descobriu o acordo depois das transações terem sido feitas. Alegou ainda que sua assinatura foi falsificada para pagar as garotas.

Tanto o depoimento em que assume o pagamento quanto o que nega tê-los efetuado são anteriores às 32 denúncias. Além disso, nas ocasiões Klein não usou a narrativa de que as meninas eram “sugar babies”.

Segundo o empresário, as garotas faziam parte de uma agência ligada a uma empresa de eventos e teriam sido coagidas pela dona a ameaçá-lo. Ele afirmou que poderiam divulgar suas fotos íntimas e acusá-lo de abusar de uma menor de idade. Porém, Klein disse que a garota –de supostamente 17 anos– teria apresentado um RG falsificado.

Entenda

Os relatos sobre as explorações praticadas por Saul Klein mostram semelhanças com as práticas de seu pai, o “rei do varejo” Saul Klein, que morreu em 2014. Saul é investigado pelo MP-SP (Ministério Público do Estado de São Paulo) por aliciamento e estupro de dezenas de mulheres.

Uma ex-gerente da rede varejista, identificada em reportagem da Agência Pública como Josilene (nome fictício) contou que tanto pai como filho usavam o caixa das lojas para os pagamentos às garotas aliciadas. Josilene trabalhou na loja da Casas Bahia na Vila Diva, zona leste de São Paulo, de 2005 a 2008.

De manhã tocava o telefone: ‘Aqui é da parte do dr. Samuel ou do dr. Saul, e precisa separar tanto pro final do dia’. Então a gente ia no caixa, conversava, e as caixas iam separando o que entrava em dinheiro. E no final as meninas passavam e retiravam os valores”, disse.

Eram meninas de diversas regiões. As que vinham lá eram umas 3 ou 4 por semana, na faixa aí dos 16, 17 anos. Eram menores.

Em 2010, a empresa foi condenada em diversas ações trabalhistas. Em 7 delas, os funcionários pediram indenização por danos morais em razão de situações vexatórias vividas no trabalho. Segundo eles, eram obrigados a pagar mulheres que, geralmente, traziam bilhetes escritos por Samuel ordenando pagamentos em dinheiro e em produtos.

A assessoria da família Klein se manifestou por meio de nota. Eis a íntegra:

É com enorme tristeza que a família Klein tomou conhecimento da publicação de matéria sobre Samuel Klein, fundador da Casas Bahia, falecido em 2014. Imigrante polonês, judeu e sobrevivente do Holocausto, ele sempre ensinou que é preciso muito trabalho e coragem para enfrentar os desafios da vida. É uma pena que ele não esteja vivo para se defender das acusações mencionadas. Sobre os dois processos em andamento, correm em segredo de Justiça e as decisões serão acatadas.

- Advertisment -

Popular

Antecipado pagamento do 13º salário para segurados e dependentes da Previdência Social

Beneficiários integram grupos mais vulneráveis à Covid-19 O Presidente da República, Jair Bolsonaro, assinou decreto que antecipa o pagamento do 13º salário devido aos segurados...

Sancionada lei que cria formulário de avaliação de risco para mulheres vítimas de violência

Formulário será aplicado pela Polícia Civil no registro da ocorrência, ou pelo Ministério Público ou Poder Judiciário no primeiro atendimento à vítima de violência O...

TJRS – Ato estabelece procedimentos para protocolo em processos do 2º Grau

Por meio do Comunicado nº 03/2021, a 1ª Vice-Presidente do TJRS, Desembargadora Liselena Schifino Robles Ribeiro, estabeleceu os procedimentos a serem adotados para a protocolo...

Sobre nossos erros e o que não poderemos reconstruir a jato, analisa Maria Virgínia Nasser

Nos anos recentes, muitos acusaram quem ousasse criticar a Operação Lava Jato de defender a impunidade, advogando os interesses de quem se beneficie da...