23.1 C
Brasil
domingo, abril 18, 2021
Início Justiça MP-RJ abre investigação contra a Vale por omissão de informações a acionistas

MP-RJ abre investigação contra a Vale por omissão de informações a acionistas

O MP-RJ (Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro) determinou a abertura de um inquérito contra a Vale. A mineradora é investigada por suposta omissão de informações relevantes a acionistas e a investidores. O caso envolve o investimento de US$ 2,5 bilhões nos direitos de exploração de uma mina de ferro em Simandou, na África Ocidental. A Vale afirma que não tem conhecimento sobre o inquérito.

O diretor da empresa, Eduardo Bartolomeu, é citado como um dos investigados na suposta fraude. Atuais executivos e ex-diretores da Vale, como Paul Antaki e José Carlos Martins, também são alvos do inquérito.

A compra de direitos de exploração aconteceu em 2010, em parceria com a empresa BSGR, do israelense Benjamin Steinmetz. O acordo, no entanto, foi desfeito e as empresas entraram em disputas judiciais sobre o negócio.

.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;} input.submit{margin-top: 0.2px !important;} .mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter
h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}

Receba a newsletter do Poder360

A Vale acusou o empresário israelense de corrupção. De acordo com a empresa brasileira, a BSGR conseguiu os direitos de exploração dos lotes 1 e 2 da mina de Simandou com subornos ao então ditador Lansana Conté. Na época, Steinmetz foi condenado pela Justiça suíça, que ordenou o ressarcimento de valores investidos pela Vale.

Steinmetz nega qualquer prática de corrupção. Mas afirma que a Vale tinha conhecimento dos rumores sobre os subornos e agiu para esconder os indícios. O objetivo, segundo o empresário, era garantir que o negócio fosse aprovado por controladores internacionais. A união das duas empresas permitiria a exploração da maior jazida de ferro do mundo.

Em outubro do ano passado, Steinmetz denunciou a Vale à Justiça brasileira. Ele mencionou nomes de diretores da empresa como responsáveis pela fraude. O ex-juiz Sergio Moro foi consultor jurídico do empresário israelense e considerou que a Vale foi fraudulenta. A notícia-crime tem como amparo um parecer de Moro com informações que passaram a ser investigadas na 4ª feira (24.mar.2021).

A Vale afirma que Steinmetz está querendo reabrir um caso que já foi esclarecido em Cortes internacionais. “Os seus advogados sustentam versões divergentes: no exterior, Steinmetz afirma que nunca houve qualquer ato ilegal de sua parte, enquanto, no Brasil, alega que a Vale tinha conhecimento das irregularidades praticadas por ele e pela BSGR”, diz em nota.

Para a empresa, essa é uma tentativa do empresário israelense de não pagar as indenizações estipuladas no exterior. A Vale afirma ainda que irá processá-lo. “O Sr. Steinmetz também responderá civil e criminalmente pelas suas manobras falaciosas“.

No Rio de Janeiro, a investigação está sendo conduzida pela Delegacia de Repressão ao Crime Organizado da Polícia Civil. O MP-RJ pediu que a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) também seja notificada sobre o caso para que possa prestar informações.

- Advertisment -

Popular

Gilmar dá 10 dias para 7 Estados explicarem lockdown e toque de recolher

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes determinou que 7 Estados forneçam informações sobre medidas restritivas adotadas para conter o coronavírus. O...

Conheça as acusações contra o fundador das Casas Bahia por abuso sexual

Morto em 2014, o fundador da rede varejista Casas Bahia, Samuel Klein, pode ter usado seu poder para manter um esquema de aliciamento de...

Saiba as acusações contra o fundador das Casas Bahia por abuso sexual

Morto em 2014, o fundador da rede varejista Casas Bahia, Samuel Klein, pode ter usado seu poder para manter um esquema de aliciamento de...

Saiba as acusações contra o fundador das Casas Bahia por abuso sexual

Morto em 2014, o fundador da rede varejista Casas Bahia, Samuel Klein, pode ter usado seu poder para manter um esquema de aliciamento de...