23.1 C
Brasil
domingo, abril 18, 2021
Início Justiça Morte no Carrefour: viúva de João Alberto recusa R$ 1 milhão de...

Morte no Carrefour: viúva de João Alberto recusa R$ 1 milhão de indenização

O Carrefour informou, por meio de nota, que ofereceu à viúva de João Alberto, homem negro morto por 1 segurança e 1 policial militar na unidade do bairro Passo D’Areia, em Porto Alegre, indenização de R$ 1 milhão oferecida pela empresa.

De acordo com a rede de supermercados, Milena Borges Alves recusou a quantia e estaria “insistindo, por intermédio de seus advogados, no recebimento de valores não razoáveis”. A empresa sustenta que o montante solicitado pela mulher está “fora dos patamares jurisprudenciais”.

.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;} input.submit{margin-top: 0.2px !important;} .mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter
h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}

Receba a newsletter do Poder360

João Alberto morreu em 19 de novembro de 2020, depois de ser espancado pelos 2 homens. Na ocasião, ele era monitorado por funcionários do mercado, enquanto fazia compras com Milena. Uma agente de fiscalização do Carrefour disse à polícia que João era cliente da loja e que tinha atrito com alguns funcionários. A versão, no entanto, é controversa. Uma operadora de caixa, por sua vez, disse que nunca tinha visto a vítima até aquela data.

De lá para cá, o Carrefour vem tomando ações com o intuito de se retratar em relação ao ocorrido. O CEO da rede no Brasil, Noel Prioux, gravou um vídeo publicitário em que se desculpava pela morte de João e prometia adotar medidas para a promoção da diversidade.

No dia 2 de fevereiro de 2021, a empresa inaugurou oficialmente o site #NãoVamosEsquecer, que tem como proposta dar transparência à sua atuação diante do caso. Foi publicado em data retroativa (dezembro) que a empresa está oferecendo apoio à família da vítima, no entanto, desde então não houve nenhuma atualização sobre como estão sendo as tratativas.

Em comunicado disparado para a imprensa, o Carrefour diz que já fechou acordo com os quatro filhos, a enteada e a neta de João Alberto. Segundo a empresa, eles concordaram com os valores oferecidos como ressarcimento. Também é afirmado que o pai e a irmã da vítima já teriam recebido suas indenizações.

A empresa diz que a viúva é a única parente que “vem dificultando o consenso” e que o valor oferecido a ela “é bastante superior ao estipulado para indenização por morte de familiar pelo Superior Tribunal de Justiça”. Na conclusão da nota, a rede afirma que “segue firme no propósito de uma composição e se propõe a pagar os honorários dos advogados da senhora Milena, mesmo estando eles acima do padronizado pelo mercado e representando valor relevante”.

O Poder360 tentou entrar em contato com Milena Borges Alves, mas não obteve êxito.

- Advertisment -

Popular

Gilmar dá 10 dias para 7 Estados explicarem lockdown e toque de recolher

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes determinou que 7 Estados forneçam informações sobre medidas restritivas adotadas para conter o coronavírus. O...

Conheça as acusações contra o fundador das Casas Bahia por abuso sexual

Morto em 2014, o fundador da rede varejista Casas Bahia, Samuel Klein, pode ter usado seu poder para manter um esquema de aliciamento de...

Saiba as acusações contra o fundador das Casas Bahia por abuso sexual

Morto em 2014, o fundador da rede varejista Casas Bahia, Samuel Klein, pode ter usado seu poder para manter um esquema de aliciamento de...

Saiba as acusações contra o fundador das Casas Bahia por abuso sexual

Morto em 2014, o fundador da rede varejista Casas Bahia, Samuel Klein, pode ter usado seu poder para manter um esquema de aliciamento de...