25.9 C
Brasil
domingo, abril 18, 2021
Início Justiça Lava Jato “ajudou a eleger o Bozo”, diz procuradora em mensagens

Lava Jato “ajudou a eleger o Bozo”, diz procuradora em mensagens

Em março de 2019, os procuradores da República Jerusa Viecili e Deltan Dallagnol conversaram sobre a influência da operação Lava Jato na eleição do presidente Jair Bolsonaro. Em um diálogo por mensagens, Jerusa afirmou que “a FT [força tarefa] ajudou a eleger Bozo [Bolsonaro]”.

As mensagens fazem parte de uma nova petição protocolada pela defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no STF (Supremo Tribunal Federal). Na peça (íntegra – 8 MB), apresentada à Corte nesta 2ª feira (29.mar.2021), os advogados anexaram as mensagens supostamente trocadas entre procuradores da Lava Jato. A equipe de Lula teve acesso às mensagens após decisão do ministro Ricardo Lewandowski.

.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;} input.submit{margin-top: 0.2px !important;} .mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter
h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}

Receba a newsletter do Poder360

Em 28 de março, 3 meses após Bolsonaro assumir a Presidência, Jerusa enviou mensagem a Deltan afirmando ser preciso o distanciamento da operação em relação ao presidente para que a Lava Jato pudesse ter uma “reaproximação” com jornalistas. “[…] Precisamos nos desvincular do Bozo [Bolsonaro], só assim os jornalistas vão novamente ver a credibilidade e apoiar a LJ [Lava Jato] [sic]”.

E continua: “Temos que entender que a FT [força tarefa] ajudou a eleger Bozo, e que, se ele atropelar a democracia, a LJ [Lava Jato] será lembrada como apoiadora. Eu, pessoalmente, me preocupo muito com isso (vc sabe) [sic]”.

A procuradora afirma ainda que a Lava Jato não reagiu de forma forte o suficiente em pelo menos 2 casos. Um desses casos seria o das rachadinhas” na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro), que envolve o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente.

“Rachadinha” é a prática do agente público que recolhe parte ou até a totalidade do salário pago a assessores e funcionários de gabinete. Flávio Bolsonaro é suspeito de realizar o esquema em seu gabinete durante o mandato como deputado estadual do Rio de Janeiro, de 2007 a 2018. Ele nega as acusações.

Se fosse qualquer outro politico envolvido, nossa cobrança por apuração teria sido muito mais forte [sic]”, disse Jerusa a Deltan. Ela citou ainda o caso do ministro da Secretaria Geral, Onyx Lorenzoni, que também não teve uma reação forte da força tarefa ao seu ver.

Onyx na época era ministro da Casa Civil e admitiu o crime de caixa 2. O ex-juiz e então ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro minimizou o crimes por considerá-lo algo do passado e que já foi reconhecido e reparado por Onyx. Disse ainda admirar o ministro.

Jerusa diz ainda que sabe que os procuradores se preocupavam com a perda de suporte por parte de apoiadores de Bolsonaro, que ela chama de “bolsominions“. Mas afirma também que era preciso defender a democracia para se reaproximar da imprensa.

Agora, com a ‘comemoração da ditadura’ (embora não tenha vinculação direta com o combate à corrupção), estamos em silêncio nas redes sociais. Não prezamos a democracia? concordamos, como os defensores de bozo [Bolsonaro], que ditadura foram os 13 anos de governo PT? a LJ [Lava Jato] teria se desenvolvido numa ditadura?“, diz. E completa: “Enfim, acho que defender a democracia, nesse momento, seria um bom início de reaproximação com a grande imprensa”.

Deltan teria respondido que concorda com a defesa da democracia. E reconhecido que a Lava Jato ataca ministros do STF, mas que ainda assim seria preciso defender as instituições brasileiras. “Jerusa com relação a defender a Democracia, tambem seria importante um discurso de defesa das instituições. Atacamos muito o STF e seus ministros, mas sabemos que a democracia so existe com respeito às instituições. e o STF precisa ser preservado, como órgão máximo do Poder Judiciário brasileiro [sic]”.

Grifos são da defesa de Lula

“VER OS VERMES ESTREBUCHANDO”

Em outra conversa incluída na petição protocolada nesta 2ª feira (29.mar), os advogados de Lula chamam a atenção para mensagens em que os procuradores falam sobre uma possível participação do ex-presidente nas eleições de 2018.

Em 28 de junho de 2015, os procuradores da República teriam afirmado que Lula era o franco favorito para a eleição. “Enquanto não se discutir o meu nordeste será quase impossível derrotar o pt e praticamente impensável derrotar são lula [sic]”, disse um procurador identificado como Robalinho –possivelmente o então presidente da ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República), José Robalinho.

Em resposta, um procurador identificado como Ailton diz: “Mas ver os vermes estrebuchando é interessante” em referência a Lula e seus eleitores.

Outros 2 procuradores também estão envolvidos na conversa: Luiza e Vladimir. Vladimir indica que o motivo para os problemas apontados pela Lava Jato seria o código penal brasileiro. E indica que além de uma possível reforma dessa área, a solução seria “educação de qualidade, economia estável, políticas públicas em geral“.

Luiza responde que não está em busca de solução. E Ailton completa: “Por isso aprecio o sofrimento dos eleitores de Lula, sem comiseração“.

Grifos são da defesa de Lula

As mensagens obtidas na operação Spoofing não são reconhecidas pelos procuradores da força-tarefa da Lava Jato. Em 4 de março, quando um áudio de Deltan foi divulgado, os procuradores voltaram a dizer que não reconheciam o material e que eles estavam sendo utilizados e editados por pessoas com diferentes interesses.

- Advertisment -

Popular

Gilmar dá 10 dias para 7 Estados explicarem lockdown e toque de recolher

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Gilmar Mendes determinou que 7 Estados forneçam informações sobre medidas restritivas adotadas para conter o coronavírus. O...

Conheça as acusações contra o fundador das Casas Bahia por abuso sexual

Morto em 2014, o fundador da rede varejista Casas Bahia, Samuel Klein, pode ter usado seu poder para manter um esquema de aliciamento de...

Saiba as acusações contra o fundador das Casas Bahia por abuso sexual

Morto em 2014, o fundador da rede varejista Casas Bahia, Samuel Klein, pode ter usado seu poder para manter um esquema de aliciamento de...

Saiba as acusações contra o fundador das Casas Bahia por abuso sexual

Morto em 2014, o fundador da rede varejista Casas Bahia, Samuel Klein, pode ter usado seu poder para manter um esquema de aliciamento de...