26 C
Brasil
terça-feira, maio 18, 2021
Início Justiça Fabricantes da Sputnik V anunciam processo contra a Anvisa por “difamação”

Fabricantes da Sputnik V anunciam processo contra a Anvisa por “difamação”

O RDIF (Fundo Russo de Investimento Direto), responsável pela produção e distribuição da vacina Sputnik V, afirmou, nesta 5ª feira (29.abr.2021), que vai iniciar um processo judicial contra a Anvisa (Agência Nacional da Vigilância Sanitária).

O fabricante do imunizante contra a covid-19 diz que a agência reguladora “espalhou informações falsas e imprecisas intencionalmente”.

.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;} input.submit{margin-top: 0.2px !important;} .mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter
h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}

Receba a newsletter do Poder360

Em uma série de publicações no perfil institucional da vacina no Twitter, o fundo russo falou que a Anvisa “fez declarações incorretas e enganosas sem ter testado a vacina” ao negar a permissão de importação e uso emergencial do imunizante no Brasil.

O fundo citou ainda que a agência teria “desconsiderado documento oficial enviado pelo Instituto Gamaleya sobre a ausência de  adenovírus replicante”.

A página da Sputnik V na rede social disse também que o gerente de Medicamentos e Produtos Biológicos da Anvisa, Gustavo Mendes, teria “admitido o erro” ao dizer que a agência “não fez um teste para verificar se há adenovírus replicado” na vacina.

O Poder360 procurou a Anvisa para verificar se a fala de Mendes reconhece, de fato, um erro na análise do imunizante pelo órgão. Até o momento da publicação da reportagem, não houve resposta.

“PRESSÃO POLÍTICA”

Na 3ª feira (27.abr), Kirill Dmitriev, presidente do fundo russo, afirmou que a única justificativa plausível para a decisão da Anvisa de negar a autorização para importação da vacina seria “pressão política”.

Acreditamos que a única motivação verdadeira para a decisão da Anvisa é a pressão política“, afirmou.

Dmitriev se referiu à admissão do governo dos Estados Unidos de ter pressionado o Brasil contra a compra da Sputnik V. “Gostaria de dar parabéns ao governo norte-americano, porque o objetivo deles provavelmente se concretizou agora“, disse.

A Anvisa teve um comportamento estranho, não conversou diretamente com a gente e divulgou informações falsas para a imprensa. Nunca vimos nada parecido“, disse Dmitriev.

DECISÃO DA ANVISA

A Anvisa (Agência Nacional da Vigilância Sanitária) negou, na última 2ª (26.abr), a permissão para importação e uso emergencial excepcional da vacina Sputnik V.

Técnicos disseram ter identificado falhas no desenvolvimento da vacina russa, na qualidade e na segurança do imunizante. Todos os 5 diretores votaram para barrar a Sputnik V, depois de 5 horas de reunião.

Na ocasião, Gustavo Mendes afirmou que a Sputnik V usa como vetor o adenovírus. Ele é usado como “transporte” do material genético do coronavírus que irá condicionar o organismo a combater e neutralizar a infecção.

Nesses casos, o adenovírus é manipulado para não se replicar dentro do corpo. Mas, segundo a Anvisa, os técnicos encontraram adenovírus replicantes em todos os lotes da Sputnik V submetidos ao controle de qualidade da agência. O fabricante nega.

O RDIF afirma que os únicos tipos de adenovírus replicantes utilizados na vacina são “inofensivos para o corpo humano“. Também diz que a Anvisa não pediu nenhuma informação sobre os adenovírus e sobre como eles são utilizados na composição da vacina.

- Advertisment -

Popular

Lewandowski nega pedido de “capitã cloroquina” para ficar em silêncio na CPI

O ministro Ricardo Lewandowski do STF (Supremo Tribunal Federal) negou, nesta 3ª feira (18.mai.2021), o pedido da secretária de Gestão do Trabalho e da...

TJCE altera seleção de classes e assuntos no E-Saj

Para seguir determinação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) alterou o Portal E-Saj para somente permitir a...

Nova portaria do TRT-18 altera etapas de retomada dos serviços presenciais em duas cidades do interior. Goiânia permanece na Etapa Laranja. Veja as cidades...

O presidente do TRT-18, desembargador Daniel Viana Júnior, assinou hoje (17/5) portaria que relaciona as etapas de retomada dos serviços presenciais vigentes em cada...

TRT-2 – Dispensa comunicada pelo empregador via whatsapp vale como prova da ruptura do contrato de trabalho

Decisão em 2º grau da Justiça do Trabalho de São Paulo confirmou como válida a dispensa de uma educadora de escola infantil feita por...