26 C
Brasil
terça-feira, maio 18, 2021
Início Justiça Diálogos sugerem que comparsas de Adriano da Nóbrega contactaram Bolsonaro, diz site

Diálogos sugerem que comparsas de Adriano da Nóbrega contactaram Bolsonaro, diz site

Transcrições de grampos telefônicos sugerem que o presidente Jair Bolsonaro foi contactado por aliados de Adriano da Nóbrega, ex-capitão do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais).

Os diálogos transcritos constam em um relatório da Subsecretaria de Inteligência da Secretaria de Polícia Civil do Rio, ao qual o The Intercept teve acesso. A investigação quebrou os sigilos telefônico e telemático de suspeitos de ajudar o miliciano no tempo em que ele ficou foragido –pouco mais de 1 ano.

Adriano da Nóbrega é apontado pelo MP-RJ (Ministério Público do Rio de Janeiro) como chefe da milícia de Rio das Pedras, na zona oeste da capital fluminense, e do chamado “Escritório do Crime”.

Morto em fevereiro de 2020, o ex-policial é suspeito da morte da vereadora Marielle Franco (Psol) e do motorista Anderson Gomes.

.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;} input.submit{margin-top: 0.2px !important;} .mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter
h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}

Receba a newsletter do Poder360

Pouco depois da morte de Adriano, comparsas do miliciano citam nas conversas “Jair” e “cara da casa de vidro”. Eles ainda conversam com um homem identificado no relatório como “HNI (PRESIDENTE)”.

A reportagem do The Intercept falou com fontes do MP-RJ, sob a condição de anonimato. Segundo elas, é possível concluir que os nomes são formas de se referir ao presidente. “Casa de vidro” seria uma alusão aos palácios do Planalto e da Alvorada, que possuem as fachadas feitas de vidro.

O Poder360 entrou em contato com o Planalto, com o MP-RJ e a Polícia Civil do Rio, mas não obteve resposta até a publicação deste texto. O espaço segue aberto para manifestações.

O Ministério Público Estadual pediu que a Justiça encerrasse as escutas logo depois das citações, reforçando a tese de que se trata de Jair Bolsonaro. O órgão não tem competência para investigar o presidente da República –cabe à PGR (Procuradoria Geral da República) a análise desses casos.

Procurada pelo The Intercept, a PGR afirmou que a pesquisa nos sistemas da Procuradoria por meio do número de processo indicado não retornaram resultados. Fonte do órgão declarou que o processo pode ter sido encaminhado com um número diferente, que ele pode ainda não ter sido encaminhado ou que a PGR apenas não o encontrou nos arquivos.

CONVERSAS

As conversas com supostas referências a Bolsonaro começaram em 9 de fevereiro de 2020, dia da morte do miliciano, e seguiram por 11 dias.

A 1ª ligação foi feita horas depois da morte de Adriano por Ronaldo Cesar, conhecido como Grande. Ele é apontado como um dos elos entre os negócios legais e ilegais do miliciano. No telefonema, ele afirmou a uma mulher não identificada que ligaria para o “cara da casa de vidro” e disse que havia conversado com Adriano de que algo “ruim” iria acontecer.

Ele comentou ainda sobre pendências financeiras, disse que queria saber “como vai ser o mês que vem” e que a “parte do cara tem que ir”.

Em outro diálogo, de 13 de fevereiro de 2020, Grande conversou com um homem. Na transcrição, essa pessoa é definida como HNI (sigla para “homem não identificado”) e, entre parênteses, PRESIDENTE, em letras maiúsculas.

Grande relatou que a família de Adriano enfrentava problemas de divisão de bens. O interlocutor se colocou à disposição para ajudar em algum contratempo futuro.

Em conversas do pecuarista Leandro Abreu Guimarães e de sua mulher, Ana Gabriela Nunes, também em 13 de fevereiro de 2020, o nome “Jair” é mencionado.

Ana Gabriela, por exemplo, conversou com uma mulher identificada como Nina. Ela disse que a polícia voltou a sua casa “com o promotor” e que o “Leandro está querendo falar com Jair”.

Investigações apontam que o casal escondeu Adriano da Nóbrega numa fazenda da família depois que fugiu de um cerco policial em 31 de janeiro de 2020.

O The Intercept revelou, em março, que o nome do presidente Jair Bolsonaro já havia sido citado por pessoas ligadas a Adriano.

O sargento da PM Luiz Carlos Felipe Martins, conhecido como Orelha, disse a um interlocutor não identificado que “Adriano falava que se fodia por ser amigo do presidente da República”. Orelha era um dos homens de confiança do miliciano

Adriano tinha ligação ainda com o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), filho do presidente.

Em 2005, quando Flavio ocupava o cargo de deputado estadual, ele homenageou o ex-capitão do Bope “pelos inúmeros serviços prestados à sociedade” na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro).

A mãe e a ex-mulher de Adriano, Raimunda Veras Magalhães e Danielle Mendonça da Costa, respectivamente, apareciam como funcionárias do gabinete de Flavio quando ele ainda era deputado estadual, em 2018.

Adriano era amigo do ex-PM Fabrício Queiroz –ex-assessor do hoje senador Flavio Bolsonaro. Queiroz é suspeito de ter recebido repasses de duas pizzarias controladas por Adriano. O montante seria de R$ 72.500. A suspeita do Ministério Público é de que o ex-capitão do Bope atue como sócio oculto das empresas.

- Advertisment -

Popular

Lewandowski nega pedido de “capitã cloroquina” para ficar em silêncio na CPI

O ministro Ricardo Lewandowski do STF (Supremo Tribunal Federal) negou, nesta 3ª feira (18.mai.2021), o pedido da secretária de Gestão do Trabalho e da...

TJCE altera seleção de classes e assuntos no E-Saj

Para seguir determinação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) alterou o Portal E-Saj para somente permitir a...

Nova portaria do TRT-18 altera etapas de retomada dos serviços presenciais em duas cidades do interior. Goiânia permanece na Etapa Laranja. Veja as cidades...

O presidente do TRT-18, desembargador Daniel Viana Júnior, assinou hoje (17/5) portaria que relaciona as etapas de retomada dos serviços presenciais vigentes em cada...

TRT-2 – Dispensa comunicada pelo empregador via whatsapp vale como prova da ruptura do contrato de trabalho

Decisão em 2º grau da Justiça do Trabalho de São Paulo confirmou como válida a dispensa de uma educadora de escola infantil feita por...