19.5 C
Brasil
sexta-feira, maio 7, 2021
Início Justiça Caso Henry: Dr. Jairinho e Monique são indiciados por homicídio qualificado

Caso Henry: Dr. Jairinho e Monique são indiciados por homicídio qualificado

A Polícia Civil do Rio de Janeiro concluiu, nesta 2ª feira (3.mai.2021), o inquérito sobre a morte do menino Henry Borel, de 4 anos. O vereador do Rio de Janeiro Jairo Souza Santos Júnior, conhecido como Dr. Jairinho, e a mãe da criança e namorada do vereador, Monique Medeiros da Costa e Silva, foram indiciados por homicídio duplamente qualificado, com emprego de tortura e impossibilidade de defesa da vítima.

Os investigadores pediram a prisão preventiva do casal. O inquérito foi enviado pelo delegado Henrique Damasceno, responsável pela investigação, ao Ministério Público, que pode ou não denunciar os 2 à Justiça.

O casal foi alvo de mandados de prisão temporária por 30 dias, expedidos no dia 7 de abril pela juíza Elizabeth Louro Machado, do 2º Tribunal do Júri da Capital. Jairinho e Monique são suspeitos ainda de atrapalhar as investigações e de ameaçar testemunhas.

.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;} input.submit{margin-top: 0.2px !important;} .mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter
h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}

Receba a newsletter do Poder360

No dia 30 de abril, o MP-RJ (Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro) também denunciou o Dr. Jairinho por tortura. Ele teria submetido, de 2011 a 2012, a filha de uma namorada a intenso sofrimento físico e mental, como forma de castigo pessoal.Na época, a menina tinha 4 anos.

O documento encaminhado à 2ª Vara Criminal de Bangu, na zona oeste da capital fluminense, relatou que o vereador mantinha, à época, um relacionamento amoroso com a mãe da vítima e aproveitava-se do fato para, nas oportunidades em que se encontrava sozinho com a criança, torturá-la física e mentalmente.

O MP-RJ informou que “o denunciado batia com a cabeça da vítima contra diversos lugares, chutava e desferia socos contra a barriga da criança, além de afundá-la na piscina colocando seu pé sobre sua barriga, afogando-a, e de torcer seu braço”.

O CASO

Segundo inquérito, Henry chegou ao condomínio onde morava levado pelo pai, Leniel Borel de Almeida, na noite de 7 de março.

Por volta de 3h30 da madrugada de 8 de março, Monique e Jairinho disseram ter encontrado o menino caído no chão do quarto que dividia com a mãe. Henry estaria com pés e mãos gelados e olhos revirados.

Os 2 levaram a criança ao Hospital Barra D’Or. Médicas que atenderam Henry afirmaram que ele já chegou morto e com as lesões apontadas pelo laudo de necropsia.

O documento mostra que a criança teve hemorragia interna e laceração hepática provocada por ação contundente. O corpo do menino apresentava equimoses, hematomas, edemas e contusões.

Monique disse, ao prestar depoimento, que acredita que o filho tenha acordado, ficado em pé sobre a cama e caído no chão ao se desequilibrar ou tropeçar.

O vereador declarou no inquérito que ouviu os gritos de Monique e, ao entrar no quarto, notou que Henry estava gelado e parecia respirar mal. Henry não teria respondido à respiração boca a boca ou aos estímulos feitos no caminho ao hospital. Jairinho disse que, apesar de ter formação em Medicina, nunca exerceu a profissão.

Damasceno ouviu familiares, vizinhos e funcionários da família, entre outras testemunhas. Uma ex-namorada do vereador declarou que, durante a relação, ela e a filha, de 3 anos à época, sofreram agressões de Jairinho.

- Advertisment -

Popular

Prazo para envio da Declaração do Imposto de Renda permanece sendo 31 de maio

Projeto de Lei nº 639, de 2021 foi vetado, mantendo o prazo de entrega da declaração e pagamento da primeira cota do imposto até...

STJ – No processo penal, suspensão do prazo de prescrição termina com efetiva citação do réu por carta rogatória

​​​​Ao interpretar o Código de Processo Penal (CPP), a Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) estabeleceu que o termo final para a...

Antecipado pagamento do 13º salário para segurados e dependentes da Previdência Social

Beneficiários integram grupos mais vulneráveis à Covid-19 O Presidente da República, Jair Bolsonaro, assinou decreto que antecipa o pagamento do 13º salário devido aos segurados...

Sancionada lei que cria formulário de avaliação de risco para mulheres vítimas de violência

Formulário será aplicado pela Polícia Civil no registro da ocorrência, ou pelo Ministério Público ou Poder Judiciário no primeiro atendimento à vítima de violência O...