19.5 C
Brasil
sexta-feira, maio 7, 2021
Início Justiça Apib pede anulação de inquérito aberto pela Funai contra Sonia Guajajara

Apib pede anulação de inquérito aberto pela Funai contra Sonia Guajajara

A Apib (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil) entrou com um pedido nesta 2ª feira (3.mai.2021) na Vara Federal Criminal do Distrito Federal para anular o inquérito instaurado pela Polícia Federal que intimou a líder indígena Sonia Guajajara, coordenadora executiva da Apib, a pedido da Funai (Fundação Nacional do Índio), sob a acusação de difamar o governo federal. Eis a íntegra (367 KB).

No documento apresentado à Justiça, advogados afirmam que “não resta dúvida de que existe farta quantidade de documentos técnicos que evidenciam a ineficiência por parte do governo federal em combater a pandemia nos territórios indígenas. Diante de tal omissão, a Articulação dos Povos Indígenas iniciou a campanha emergência indígena, a fim de suprir a inércia do governo federal”.

A Funai informou ao Poder360 que “não comenta fatos que estão sob apuração em âmbito policial, o que poderia prejudicar o andamento dos trabalhos”.  

.mod-newsletter.full .title, .mod-newsletter.full h1 {font-size:18px;text-transform:none;} input.submit{margin-top: 0.2px !important;} .mod-newsletter.full .title small, .mod-newsletter.full h1 small{font-size:16px;}.mod-newsletter .title, .mod-newsletter
h1{font-family:”Prelo”,sans-serif;}.mod-newsletter.full input[type=text]{font-size:14px;padding: 10px 7px;}.mod-newsletter.full input[type=submit] {padding:9px 0;margin-top:-21px}.mod-newsletter.full {margin:15px 10px; padding:20px 15px 15px; border: 1px solid #d2d2d2; background:transparent; background-color#fff;}.enviar .container {width:100%;}.content.wp h1, .content.wp h2 .enviar{margin:0;}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1{font-size:15px;}}@media only screen and (max-width: 1279px){.mod-newsletter.full h1 small{font-size:14px;}}@media only screen and (max-width: 767px){.mod-newsletter.full h1 {padding-bottom:11px;}}

Receba a newsletter do Poder360

O órgão também destacou que a apuração de fatos supostamente ilícitos reafirma o compromisso com a indisponibilidade do interesse público, tendo em vista que todos os cidadãos, indígenas e não indígenas, estão submetidos à observância da lei brasileira.

O caso

A Funai afirma que a ativista e a entidade que ela presidem fizeram acusações que difamaram o governo de Jair Bolsonaro por meio da websérie “Maracá”, que mostra supostas violações de direitos cometidas contra os povos indígenas no contexto da pandemia de covid-19.

De acordo com a Apib, as denúncias que constam no vídeo já foram reconhecidas pelo STF (Supremo Tribunal Federal) por meio da ADPF 709.

Segundo a assessoria de Sonia Guajajara, a websérie apresenta dados sobre a propagação do coronavírus entre os povos indígenas e esses números foram considerados fake news.

Em nota, a líder indígena afirma que, “o governo busca intimidar os povos indígenas em uma nítida tentativa de cercear nossa liberdade de expressão, que é a ferramenta mais importante para denunciar as violações de direitos humanos”. 

- Advertisment -

Popular

Prazo para envio da Declaração do Imposto de Renda permanece sendo 31 de maio

Projeto de Lei nº 639, de 2021 foi vetado, mantendo o prazo de entrega da declaração e pagamento da primeira cota do imposto até...

STJ – No processo penal, suspensão do prazo de prescrição termina com efetiva citação do réu por carta rogatória

​​​​Ao interpretar o Código de Processo Penal (CPP), a Quinta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) estabeleceu que o termo final para a...

Antecipado pagamento do 13º salário para segurados e dependentes da Previdência Social

Beneficiários integram grupos mais vulneráveis à Covid-19 O Presidente da República, Jair Bolsonaro, assinou decreto que antecipa o pagamento do 13º salário devido aos segurados...

Sancionada lei que cria formulário de avaliação de risco para mulheres vítimas de violência

Formulário será aplicado pela Polícia Civil no registro da ocorrência, ou pelo Ministério Público ou Poder Judiciário no primeiro atendimento à vítima de violência O...